Nature: Mar do Caribe

Mar do Caribe


Esta envolvente região do continente americano às margens do Mar do Caribe chama a atenção pelos cenários que exibe. Esta é uma região formada por várias ilhas e arquipélagos, todas localizadas no Mar do Caribe, o que deu origem ao nome da região. São praias exuberantes – como se tivessem sido desenhadas e coloridas à mão – e uma receptividade encantadora. O povo recepciona os turistas com braços abertos e sorriso no rosto.
São mais de 7 mil ilhas e ilhotas e centenas de quilômetros de praias continentais, espalhadas nas Américas do Sul, Central e até no México, onde ficam Cancún e a Riviera Maia.

Dos vários elementos culturais que um povo pode produzir, a música é o que mais facilmente acaba assimilado pelos outros. Muitas nações europeias fizeram parte da colonização do Caribe, e o convívio de cada uma delas com a população indígena e africana levou ao surgimento de um tipo de música. Nos locais de influência inglesa, por exemplo, surgiram o calipso, o limbo e o reggae. Na Martinica e em outras ilhas francesas apareceu o zouk. República Dominicana e Cuba, ambas espanholas, são as casas do merengue e do son, respectivamente.

A migração entre ilhas e países foi intensa nessa parte do globo, e o consequente hibridismo presente nas músicas pode confundir os ouvidos do turista desavisado. Apesar de ser típico das ex-colônias francesas, o zouk é muito popular na Colômbia e nas ilhas vizinhas, só que lá recebe o nome de soca, que por sua vez é uma redução da expressão soul of calipso (alma do calipso, em inglês). Mesmo o merengue, oriundo da hispânica República Dominicana, teve influência do Haiti, de colonização francesa. Às vezes dentro de um mesmo país um gênero sofre alterações. Em Cuba, o maior pólo musical do Caribe, basta lembrar que Compay Segundo causou estranhamento quando mostrou, em Havana, sua forma de tocar o son, desenvolvida em Santiago de Cuba, no lado oposto da ilha.

Foto: A/D - Arquivo OpenBrasil.org
Nature - OpenBrasil.org
Página anterior Próxima página